O que é o Ciclo de Aprendizagem Vivencial – CAV

O Ciclo de Aprendizagem Vivencial é um método  de ensino para potencializar a aplicação prática do que é aprendido. Suas bases surgiram com David Kolb, que foi um teórico americano cujos interesses se concentraram na aprendizagem experiencial.

Onde o CAV é utilizado?

No Brasil  a aprendizagem experiencial é conhecida de forma popular como Ciclo de Aprendizagem Vivencial – CAV.  Esse método é muito utilizado em treinamentos corporativos e mobiliza as pessoas colocarem em prática o que é ensinado.

Fases do Ciclo de Aprendizagem Vivencial

O CAV é composto por quatro fases. São elas: Experiência Concreta, Observação Reflexiva, Conceitualização Abstrata e Experimentação Ativa. Se conduzidas de forma adequada, contribuem para elevar a performance de quem vivencia o método.

Ciclo de Aprendizagem Vivencial
Etapas do Ciclo de Aprendizagem Vivencial

Experiência Concreta: é uma vivência, dinâmica de grupo, estudo de caso ou situação-problema. São escolhidas com a finalidade  atingir um  objetivo de aprendizagem.

Observação Reflexiva: nesta etapa, cada participante  reflete e analisa  como vivenciou o que foi proposto na  Experiência Concreta. O objetivo é  se conscientizar em relação à  maneira como lidou com o vivido.

Conceitualização Abstrata: é a etapa em que o grupo, com o auxilio do facilitador, faz a relação do vivenciado em sala de aula com  o dia a dia. Como consequência, surgem insights e aprendizados.

Experimentação Ativa: é a mobilização para definição de ações que possibilitem a aplicação prática do que foi aprendido.

Quem pode conduzir o CAV?

É válido lembrar que, como qualquer técnica, há cuidados na aplicação do CAV.  Ele deve ser conduzido por profissionais que receberam o devido treinamento e capacitação para aplicar o método com assertividade.

Além  de potencializar a aprendizagem, o CAV tem o propósito de  estimular a autonomia dos educandos. Isso ocorre quando o facilitador promove o pensamento reflexivo através de perguntas  relacionadas às fases do ciclo. Desta forma, ao vivenciar o método o participante é convidado a encontrar respostas para as próprias questões.

Autor: Luiz Antonio Tiradentes – Administrador, facilitador de treinamentos e autor do Método Inteligência Comportamental para desenvolvimento de pessoas e equipes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *